Infidelidade e o que as acompanhantes têm a ver com isso

Nos últimos meses tenho recebido muitos comentários mal-educados, críticas desnecessárias e até mesmo ofenças por conta dos meus artigos neste blog, principalmente a respeito do post Como me tornei uma acompanhante de luxo .

Primeiramente gostaria de esclarecer que não tenho a intenção de motivar ninguém a entrar neste ramo e se tornar uma acompanhante. Não divulgo informaçãoes e nem forneço consultoria para tal. No post em questão, apenas descrevi minha experiência pessoal de como me tornei uma acompanhante de luxo, os desafios enfrentados e como obtive os meus resultados.

De forma alguma estou motivando alguém a se tornar uma acompanhante. Isto deve partir da própria garota, que sendo maior de idade, tem total autonomia de fazer o que desejar, desde que não seja contra as leis e não prejudique demais pessoas. O que vejo é uma sociedade altamente hipócrita, corrupta e desonesta.

Àqueles que não sabem, tenho escolaridade superior e apesar de ter insistido em continuar em minha área de formação nunca consegui conquistar o que conquistei sendo acompanhante. E isso, em grande parte, reflete a sociedade hipócrita que vivemos. Muitos daqueles que mais criticam nossas atividades são os que mais contratam nossos serviços e mais nos valorizam.

Além da falsa moralidade de nossa sociedade, altamente corrupta conforme reflexo de nossos próprios governantes, muitos ainda atribuem a culpa às acompanhantes da infidelidade de seus maridos que contratam nossos serviços. Isso mostra outra característica marcante de nossa sociedade: falta de educação e entendimento de vida, com me dizia uma amiga do Modelo Vip.

A culpa da infidelidade está dentro de casa. E não me refiro apenas ao sexo. Muitos dos meus clientes querem apenas conversar com uma mulher esclarecida e que lhes dê atenção. Estes homens não encontram em sua casa uma mulher companheira, compreensiva e educada e ainda assim nós, acompanhantes, somos as culpadas pelas ações destes maridos que não suportam mais suas mulheres.

Seja homem ou mulher que não deseja que seus cônjuges sejam infiéis, então comece a dialogar mais dentro de casa. Converse mais, escute o(a) seu companheiro(a). Saiba o que ele(a)  precisa. Aprenda a ceder, ao invés de somente cobrar. Seja amigo(a) de seu/sua parceiro(a). Tudo deve ser dialogado e revisto pelo casal: sexo, dinheiro, trabalho, lazer, filhos, etc. Fazendo essa lição de casa básica, não haverá motivos para infidelidade no casamento.

Mas não pensem que somente os homens procuram relacionamentos extraconjugais. As mulheres também procuram, e em grande parte fazem isso por conta da perda de interesse de seus parceiros nelas. Estas mulheres por não se sentirem mais amadas e desejadas, procuram outros homens que as desejam e as façam sentir-se bem por causa disso. Sem mencionar a violência doméstica, só para relatar casos mais críticos e sérios.

Ninguém tem o direito de julgar ninguém e muito menos culpar os outros pelos seus fracassos. Se existe a infidelidade, a culpa não é da terceira pessoa, seja esta um(a) acompanhante ou outra(o); a culpa é do casal que não se entende realmente em todos os sentidos, e que por esse motivo busca esta terceira pessoal para preencher alguma lacuna.

Bom, esse foi meu desabafo àqueles(as) que nos vêm como a origem de todas as culpas de seus fracassos conjugais. Mudem, reflitam e ajam que a infidelidade não será mais uma ameaça a seus relacionamentos.

Beijinhos a todos e um ótimo 2013!!

Feliz 2013!!

Anúncios

2 comentários em “Infidelidade e o que as acompanhantes têm a ver com isso

  1. disse:

    Adorei, tudo oque vc escreveu.
    Concordo Plenamente, e só mais uma coisa MAL HUMOR TMB CAUSA INFIDELIDADE.

  2. Ane disse:

    Oi.
    Na verdade, as pessoas em geral são muto críticas, principalmente em relação ao outro.
    Quando passamos a ver ou tentar ver quem realmente somos, não teremos tempo para investir na vida do outro.
    Também devemos pensar que todos precisam mudar ou melhorar algo em si, e que todo ser humano é digno de respeito no mínimo.
    Com o tipo de criação que recebi, fiquei muito limitada. No entanto, com o passar dos anos, principalmente na fase adulta em que nos tornamos responsáveis por nós mesmos, vivenciamos outra realidade da vida: como a inserção no mercado de trabalho é extremamente complicada, particularmente por ter perdido alguns anos por questões de saúde durante e após a graduação, e mesmo tendo realizado especialização e mestrado ainda não alcancei meu patamar ideal… Embora empregada, o trabalho nem chega perto da minha + alta formação, e como a maioria critica as pessoas, mas não oferecem ajuda alguma, tenho pensado em me tornar acompanhante.
    Enfim, penso que o principal responsável, quanto à infidelidade, é quem busca um(a) terceiro(a), porque age com fraqueza ou covardia no ocultamento de várias informações, exceto raras exceções. Porém quem realmente pode nos julgar é Deus acima de tudo.

    Um abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s